asian dating
internet dating
sex dating
free dating sites
FacebookYouTubeTwitter

AAUTAD

Versão para impressão
PDF

Open XXIII Aniversário Secção de Ténis - AAUTAD

O período outonal, caracterizado pela queda das primeiras folhas das árvores que abandonam o verde e nos brindam com uma bela paleta cromática de amarelos e castanhos, foi assinalado entre os tenistas da Associação Académica com mais um aniversário. E vão 23!

 

Chegou, finalmente, ao término mais uma edição do Open Aniversário, competição que desta vez teve a particularidade de ser aberta a toda a academia transmontana e comunidade vila-realense. Foi mais uma organização da Secção de Ténis da AAUTAD, divisão desportiva da academia transmontana que, desde 1991, data da sua génese, tem vindo a granjear notoriedade (tendo, por exemplo, atingindo o patamar da 2.ª Divisão Nacional de Inter-Clubes e sido distinguida com o prémio do Instituto do Desporto de Portugal - “Reconhecer o Mérito”). O momento festivo foi aproveitado para celebrar estes 23 anos de profícua actividade e sucessos desportivos. Há umas semanas atrás, desenrolou-se a final de singulares, disputada por dois atletas da AAUTAD (Henrique Vaz vs Guilherme Saraiva - 6/1, 6/1) e agora foi concluída a de pares. Neste particular, e depois de terem já almejado o título de pares do “Duplas Open AAUTAD na presente temporada, os dois colegas de equipa da academia transmontana, Guilherme Saraiva e Amadeu Fernandes (na foto), replicaram a parceria e conquistaram novo troféu nesta variante. Desta feita, a vitória surgiu neste Open Aniversário, cuja final decorreu no “centralito” das renovadas instalações do CTVR, gentilmente cedidas à organização da AAUTAD. No encontro decisivo esteve em confronto a dupla da AAUTAD, face ao rodado e competente par do CTVR, Paulo Padilha e Albano Ledo. Abertas as “hostilidades” no primeiro set, o duo Saraiva / Fernandes iniciou bem a contenda e tomou a dianteira por 3/0. Depois permitiu a recuperação do par opositor, ficando mesmo a perder por 3/4 e, claro, tiveram que ir atrás do prejuízo. Para recuperar os jogos de serviço perdidos, além de melhorar o golpe de saída, a dupla da AAUTAD esteve mais eficaz no fundo do court, e nas imediações da rede as suas acções revelavam-se conclusivas, procurando um derradeiro break sinónimo de 1.º set (7/5). No segundo parcial, o tandem Saraiva / Fernandes cedo revelou um ténis superlativo e esteve mesmo a comandar por 3/0, depois 4/1 e ainda 5/2! No entanto, e a perderem por 2/5, a experiente parceria Padilha / Ledo soube reagir e adoptou uma postura mais agressiva, tomando partido da movimentação mais lenta e dos erros não forçados da dupla Saraiva / Fernandes. Paulo Padilha revelava o seu “toque de bola” em volleys acutilantes e Albano Ledo “alvejava” a zona central com eficácia, recuperando meritoriamente para um emocionante 5/5. Nesta fase, Amadeu Fernandes resgatou as sensações do serviço - levantou um pouco mais o cotovelo, o que lhe permitiu apanhar a bola bem em cima, gerando mais potência - e a dupla da academia transmontana adiantou-se para um favorável 6/5. Na reta final do set, e procurando evitar o tie-break, os “estudantes” consumaram nova quebra de serviço, vencendo o conclusivo parcelar por novo 7/5. Foi, de facto, uma final competitiva, bem disputada e tenísticamente recompensadora para a equipa da AAUTAD. Ainda assim, victis honor - honra aos vencidos. Bem, por maior que seja a glória, se não for útil é estultícia! De facto, enquanto pelos terrenos do futebol, por exemplo, todos se deixam inflamar pelo espírito bélico do heleno Ares, seria desejável que outros campos, desportivamente férteis, fossem alvo de uma cuidada e imparcial atenção. Mas, porém, todavia, contudo... Bem, demasiadas conjunções adversativas para resolver! A encerrar, a habitual cerimónia de entrega dos troféus premiou os diferentes vencedores e finalistas, que assim conquistaram um lugar de destaque nesta competição. Parabéns a todos!

 

AF.

 

Post Scriptum:
Este texto foi escrito com manifesta inobservância do Acordo Ortográfico

Versão para impressão
PDF

Caloirada aos Montes 2014 com cartaz diversificado para todos os sentidos

A Associação Académica da UTAD já apresentou os nomes que vão fazer parte do cartaz da Caloirada aos Montes 2014, que se realiza entre os dias 23 e 28 de outubro.
Numa campanha diferente, cujo tema foi a “aventura dos sentidos”, a AAUTAD, através da rede social Facebook, optou opor revelar o cartaz de forma faseada e por dias, uma escolha que se mostrou acertada, tendo em conta a adesão dos estudantes.
“Esta campanha resultou de um longo trabalho criativo que temos vindo a elaborar, para consolidar a presença da AAUTAD nas redes sociais, no sentido de desenvolvermos uma linha de diálogo aberta com os estudantes que representamos”, explicou o presidente da direção da AAUTAD, Pedro Romeu.
No cartaz da Caloirada aos Montes 2014 predomina a diversidade dos estilos musicais, com o intuito de abranger, nessas escolhas, o maior número de alunos possível.
Tiago Bettencourt, Diabo na Cruz, Jimmy P, Ruth Marlene e a dupla de DJ’s Beatbombers, constituída por Dj Ride e Stereossauro, são alguns dos nomes que se destacam no cartaz desta festa, que se estende por sete dias.
“Pela reação que obtivemos na página que criámos para o efeito, no Facebook, estamos em crer que esta semana vai ser um êxito, tanto junto dos alunos da UTAD, como da restante população de Vila Real”, referiu Pedro Romeu, que realçou também a “recetividade” que este cartaz tem vindo a ter junto de comunidades estudantis localizadas perto de Vila Real, como a de Bragança, Braga e até Porto.
O recinto já começou a ser montado, no local habitual, junto à biblioteca municipal de Vila Real.

Versão para impressão
PDF

Open XXIII Aniversário Secção de Ténis - AAUTAD

A Secção de Ténis da AAUTAD celebra o seu 23.º aniversário de contínua e profícua actividade, com prova aberta a toda a academia transmontana e comunidade vila-realense.

 

Os finais de Setembro, época em que já abrandaram as grandes canículas estivais e chegaram as primeiras hordas de caloiros ao campus universitário da UTAD, marcam habitualmente o encerramento das competições organizadas in loco pela Secção de Ténis da AAUTAD. Assim, e aproveitando da melhor forma o (pouco) descanso veranall, os tenistas da academia transmontana promovem este fim-de-semana (27 e 28) mais um Open Aniversário, competição cujo quadro, para além da habitual modalidade de singulares, aduz ainda a variante de pares. Em forma de lembrete, na época passada e enquadrada como competição sénior nível C do calendário oficial de provas da Federação Portuguesa de Ténis (FPT), as duas finais tiveram como vencedores o “selo” da AAUTAD. Em singulares, estiveram em liça os dois primeiros cabeças-de-série do quadro; a saber: Alberto Gomes (CS Nun’Alvares), n.º 56 do ranking, e do outro lado da rede, Hugo Spratley (AAUTAD), n.º 172 da respectiva classificação nacional. Nesta fase, o tenista da AAUTAD foi coroado o novo campeão, ao superar o atleta do emblema portuense por 3/6, 6/4 e 6/2, numa grande final, em que o jogador de academia transmontana conseguiu almejar mais um título individual. Posteriormente, na variante de pares, nada de inédito e duas parelhas da AAUTAD em acção. Foram protagonistas os duos Hugo Sousa / Amadeu Fernandes (na foto) vs João Lourenço / José Almeida, com registo de duplo 6/2 a favor do experiente tandem Sousa / Fernandes. Este ano, e na verdadeira acepção da palavra Open, trata-se de um evento aberto a TODOS os praticantes, visando fomentar e aproximar os diversos adeptos da modalidade, sempre num ambiente descontraído, mas seguramente competitivo. Deste modo, TODA a academia transmontana e comunidade vila-realense em geral poderá participar neste Open Aniversário, não sendo necessária a licença Jogador - FPT. Para esta 23.ª edição e como canal preferencial, os interessados devem proceder à respectiva inscrição até às 20h do dia 25 (5.ª feira), através do e-mail - Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar - ou pelo 914209395. O sorteio realizar-se-á pelas 12h na sede da AAUTAD, no dia 26.

 

 

AF.

Post Scriptum:
Este texto foi escrito com manifesta inobservância do Acordo Ortográfico

 

Versão para impressão
PDF

XV “Duplas” Open da AAUTAD

Luís Faustino, ex-atleta da “casa”, venceu em singulares e a dupla Guilherme Saraiva / Amadeu Fernandes, da AAUTAD, arrecadou os pares

Disputado somente na variante de pares nos primeiros cinco anos, a décima quinta edição deste Open “Duplas”, competição sénior integrada no calendário oficial da Federação Portuguesa de Ténis e organizada pela Secção de Ténis da AAUTAD, chegou finalmente ao fim. E, finalmente, porque uma mescla de sol tórrido, falta de luz natural e pluviosidade condicionou o normal desenrolar do quadro competitivo. Neste capítulo, as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera foram certeiras! As nuvens negras nunca abandonaram totalmente os renovados courts do CTVR - gentilmente cedidos aos tenistas da academia transmontana - e as duas finais foram mesmo alteradas do programa habitual. Aliás, os dois encontros, ainda que em dias distintos, foram já disputados na parte final sob um céu crepuscular de luz-fusco, isto é, do latim “luz que foge”. A final de singulares foi concluída, a de pares (a dois tempos) terminou posteriormente. E, de facto, a chuva acabou por surgir mais tarde! Ainda assim, e após alguns atrasos, a competição chegou ao seu término. Na prova de singulares, Luís Faustino, actual representante do CITL e 1.º designado do quadro, demonstrando toda a sua tenacidade, acedeu à final, onde discutiu com João Vinagre (ETPP) o título de campeão individual. Nesta fase, o antigo atleta da academia transmontana (campeão regional absoluto e vice-campeão nacional universitário, entre outras conquistas) que ostenta o “dorsal” n.º 15 do ranking nacional seniores, não deixou escapar mais esta oportunidade e, face ao valoroso jogador de Viseu, arrebatou o principal troféu desta competição ao vencer pelos disputados parciais de 6/3 e 7/5. Intensidade, garra e muita “bola devolvida”, continuam a fazer parte do “cardápio” tenístico do antigo tenista da AAUTAD. No final, um simpático regresso a “casa” e mais um troféu para a sua vitrina pessoal! Nos pares, e num registo mais informal, a emoção foi a tónica dominante! No encontro decisivo, esteve em confronto a dupla da AAUTAD, formada pelos colegas de equipa, Guilherme Saraiva e Amadeu Fernandes, face à parceria Pedro Teixeira (TC Chaves) e José Almeida (AAUTAD). No primeiro set, o duo Saraiva / Fernandes teve de recuperar de 2/5 para fechar em 7/5. Para além de melhorar o golpe de serviço, esta dupla esteve mais eficaz no fundo do court, e nas imediações da rede os seus volleys revelavam-se conclusivos. No entanto, o cenário alterou-se no segundo parcial. A perderem por 2/5, a parceria Teixeira / Almeida soube reagir e adoptou uma postura mais agressiva, tomando partido dos erros não forçados e da movimentação mais lenta da dupla Saraiva / Fernandes. Depois de “forçarem” um tie-break, ganho por 7-5, o tandem Teixeira / Almeida igualou a contenda, remetendo a decisão final para uma prometedora terceira partida. O terceiro set foi equilibrado até ao 3/3, momento em que surgiu uma decisiva quebra de serviço e uma interrupção por falta de luz natural. No reatamento do embate, a dupla Guilherme Saraiva / Amadeu Fernandes confirmou o break (5/3) e com nova quebra de serviço, venceu pelos parcelares de 7/5, 6/7 (7-5), 6/3. Quatro amigos em campo, mas uma vitória faz sempre bem ao ego! Afinal, e segundo a campeoníssima Martina Navratilova, “Quem disse que ganhar ou perder não importa, provavelmente perdeu.” Curiosamente, a última parceria e único título conquistado em conjunto pelo par Saraiva / Fernandes foi exactamente numa edição do “Duplas”. Nessa altura, venceram os colegas Francisco Carvalho / Rui Noronha, por 6/4, 7/5. Foi em… 2003! No presente, continuando a jogar ténis e assumindo a condição de emigrantes, Francisco Carvalho está em Macau e Rui Noronha em Luanda! Sinais dos tempos…

Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Post Scriptum I:
Este texto foi escrito com manifesta inobservância do Acordo Ortográfico.

 

Post Scriptum II: Grande abraço… “Chicão”! J